jogatina

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
INTEGRAÇÃO

Programação garante acesso de pessoas com deficiência ao mercado de trabalho

Por Redação - Agência PA (SECOM)
25/09/2015 17h37

"Achava que não ia conseguir ter acesso ao emprego de acordo com meu perfil, mas, fui pego de surpresa. Ter o contato direto com a empresa fez toda a diferença". O depoimento é do auxiliar administrativo Hermen Reis, 35 anos, deficiente físico, que foi até o Centro Integrado de Inclusão e Cidadania (CIIC), na manhã desta sexta-feira (25), em busca de uma vaga de emprego e conseguiu na primeira entrevista. "Sabia que seria uma boa oportunidade de conseguir uma vaga de emprego hoje, mas não imaginei que sairia daqui já contratado", comemorou Hermen.

A reviravolta na vida de Hermen aconteceu por intermédio do Sistema Nacional de Emprego (Sine/CIIC), durante a programação do Dia D – Dia Nacional de Contratação da Pessoa com Deficiência e beneficiários do INSS, promovido hoje pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster). A programação garante o fortalecimento das políticas de empregabilidade para esse público, a aproximação destes com as empresas, além da ampliação do número de trabalhadores com deficiência inseridos no mercado. Durante a programação também foram oferecidos serviços de emissão de certidão de nascimento, carteira de trabalho e identidade.

No espaço foram reunidas pessoas com deficiência (PCDs) que estavam em busca de uma vaga no mercado de trabalho e empresas das áreas de serviço, comércio, indústria, transporte entre outras, que estavam buscando preencher as vagas de emprego voltadas para pessoas com deficiência. “Sabemos que existe uma lei que determina a contratação de PCDs, porém nosso intuito não é apenas cumprir a lei, mas incluir as pessoas que tem dificuldade de ter acesso a vaga de emprego devido sua deficiência”, destacou a analista de Recursos Humanos de uma grande empresa de varejo, Raquel Auzier.

Segundo dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem no Pará mais de 1 milhão de pessoas com deficiência. No entanto, os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério do Trabalho e Emprego, mostram que em 2014 no Pará, foram contratadas apenas 5.374 pessoas com deficiência.

Em vigor desde 1991 no Brasil, a Lei de Cotas estabelece a obrigatoriedade da contratação de pessoas com deficiência por empresas que tenham mais de 100 funcionários. Para este público, a lei tem sido fundamental para garantir o acesso a vagas no mercado de trabalho. Ainda assim, pessoas com deficiência apresentam taxas de ocupação menores que pessoas sem deficiência, principalmente considerando-se o universo de pessoas que trabalham com carteira assinada.

De acordo com o secretário adjunto de trabalho, emprego e renda da Seaster, Everson Costa, ainda falta sensibilização de algumas empresas e de profissionais qualificados para as vagas. “As empresas precisam compreender que aquela pessoa com deficiência possui capacidade de trabalhar de acordo com seu perfil. Assim como os trabalhadores devem cada vez mais buscar cursos para se manterem competitivos e preparados para as vagas existentes no mercado de trabalho”, destacou Everson.

Larissa Costa, 24 anos, foi uma das pessoas que procurou o Centro em busca do primeiro emprego. A jovem, deficiente visual, disse que essa foi a primeira vez que esteve presente num espaço onde foi possível ter contato direto com a empresa e verificar em qual vaga ela se encaixava melhor. Larissa trabalha na área de serviço telefônico. "Eu ainda não tinha conseguido um emprego que compreendesse as minhas limitações, mas hoje saio daqui com duas propostas de emprego com empresas que conhecem os meus limites", conta a jovem.

A filial de uma empresa de transporte de carga em Belém possui em seu quadro apenas 5 pessoas com deficiência contratadas. De acordo com o analista de RH da empresa, Bernardo Costa, existem muitas vagas disponíveis para PCDs, porém por ser uma função muito movimentada, de carga e descarga de material, muitos trabalhadores não querem. “É necessário também sensibilizar esse público de que a vaga é de acordo com a sua deficiência e que na empresa existem diversos setores onde essa pessoa pode trabalhar”, explicou.

Cadastro - Qualquer pessoa com deficiência que pretenda conquistar uma vaga no mercado de trabalho pode procurar pelo CIIC. No espaço, os PCDs são cadastrados e encaminhados para empresas parceiras. Para ter acesso às vagas disponibilizadas, a pessoa com deficiência deve cadastrar-se no Sine/CIIC, localizado na avenida Almirante Barroso, 1.765, de segunda a sexta-feira, de 8h as 18h. É necessário apresentar documentos como carteira de trabalho, carteira de identidade, CPF, currículo, laudo médico atual, comprovante de escolaridade e de cursos (se tiver).

"Não só encaminhamos essas pessoas como também acompanhamos o desenvolvimento delas depois que conseguem o emprego. Queremos saber se elas estão sendo bem tratadas ou se estão sofrendo algum tipo de preconceito. Quando isso é detectado, entramos em contato com a empresa para saber o motivo", explica o diretor de trabalho e emprego da Seaster, Marcel Ribeiro.

jogatina Mapa do site