jogatina

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
EDUCAÇÃO

Alunos de escola pública conquistam vagas para torneio nacional de robótica

Estudantes garantiram participação para a etapa nacional do Torneio Sesi 'First Lego League Challenge' em Brasília (DF) no final deste mês de fevereiro

Por Ascom (Ascom)
04/02/2024 12h42

Estudantes da rede estadual de ensino, que fazem parte da equipe ‘Pavulagem’, conquistaram vaga para a etapa nacional do Torneio Sesi de Robótica - First Lego League Challenge, que vai ser realizada no final deste mês, em Brasília (DF).

A vaga foi conquistada durante a etapa estadual do torneio, na unidade Sesi, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, na sexta-feira-feira (2), onde a equipe ficou em segundo lugar na categoria Projeto de Inovação.

Com o trabalho autoral e inovador, a equipe apresentou o projeto "Goeldi 360: Um Museu Amazônico", na qual é um vídeo em 360 graus, disponibilizado gratuitamente na internet, por meio do qual as pessoas utilizando apenas o celular ou utilizando o celular mais óculos de realidade virtual (VR) tem a oportunidade de conhecer as cerâmicas arqueológicas da exposição Diversidades Amazônicas do Museu Paraense Emílio Goeldi, em uma jornada interativa na companhia de uma pesquisadora dessa Instituição.

A equipe formada por Jean Serrão, Maria Eduarda Barbosa, Luiz Gabriel da Silva, Thyla Moraes, Jéssica Aguiar e Gustavo Lima, produziram os óculos com miriti e papelão, a iniciativa é permitir que qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, acesse e explore virtualmente o riquíssimo acervo do Museu.

“O Torneio foi muito especial para mim. Foi algo mágico, uma experiência incrível de todo mundo, ver a galera, todo mundo interagindo. Fiquei muito feliz na posição que a gente ficou em segundo no projeto de inovação, pois só Deus sabe como toda a nossa equipe se esforçou, junto com nossos professores, nem tivemos férias, passamos todo o tempo lá no Núcleo Tecnológico Educacional e foi muito gratificante para todo mundo”, conta Jean Serrão, aluno.

Para a competição, os estudantes foram avaliados em quatro etapas, a primeira delas é o projeto de Inovação, no qual é identificado um problema do mundo real relativo ao tema da temporada e desenvolvido uma solução. Após isso, tem o Design do Robô, onde os estudantes foram  avaliados na apresentação da eficiência ou da qualidade da programação, técnicas ou estratégias inovadoras traçadas para resolver os desafios e completar as missões. Em seguida, a avaliação foi o Desafio do Robô, no qual a solução testada na prática em um tapete de missões que reflete o tema do mundo real para a temporada, nesta etapa, as equipes têm direito a realizar três rounds, com duração de 2 minutos e 30 segundos cada, na mesa de competição oficial. Por último, foi avaliado a Core Values, compreende e integra os valores essenciais na experiência das equipes no torneio e em sua vida diária.

Para Maria Eduarda, integrante da equipe, ver o nome da equipe no telão do evento foi algo muito especial, porque demonstrou que estudantes da rede pública podem ir muito além.

“Eu não estava imaginando que a gente ia conseguir, mas quando eu vi o nosso nome no telão, eu fiquei muito feliz, muito feliz mesmo, porque isso mostra o resultado do nosso trabalho e mostra mais ainda o poder que a escola pública tem e que nós somos capazes de conseguir o que nós quisermos gritamos, pulamos, foi tudo perfeito”, afirma a aluna.

Já para Jéssica Aguiar e Gustavo Lima, o resultado não era o esperado. “Nós não esperávamos pelo resultado, tivemos um bom desempenho, mas ainda sim não estávamos confiantes. Quando saiu o resultado, foi uma alegria só, estamos muito felizes”, conta Jéssica Aguiar, aluna.

“É um orgulho muito grande fazer parte da equipe Pavulagem, atuar como professor desses alunos é uma satisfação enorme e conseguir levar eles até uma etapa nacional do maior torneio de robótica do mundo é uma realização pessoal. Conseguimos pela terceira vez uma classificação nacional e nas três vezes, como a única escola pública a participar dessa etapa nacional, a única escola pública da nossa região a participar dessa etapa, então isso mostra que estamos no caminho certo e que ampliando esse programa de inovação e robótica com certeza vamos conseguir levar mais alunos da nossa região para participar de eventos tão importantes quanto esse”, comemora Rafael Herdy, professor.

O Torneio SESI de Robótica é um processo de aprendizagem colaborativa no qual estudantes e professores aprendem conteúdos de física, química, biologia, matemática e linguagens de forma instigante e divertida. A cada temporada, a modalidade desafia crianças e jovens de 9 a 15 anos a resolver problemas do dia a dia e os inspira a seguir carreira em áreas de tecnologia e inovação no futuro. Neste ano, o tema central envolve a Arte e a Ciência.

Texto de Bianca Rodrigues / Ascom Seduc

jogatina Mapa do site