jogatina

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
ACOLHIMENTO

Animação marca retorno às aulas dos mais de 500 mil estudantes da rede estadual de ensino

O ano letivo de 2024 é marcado pelo aumento de 100% de vagas em escolas de tempo integral. São 33 novas escolas no modelo de ensino integral e mais de 17,7 mil novas vagas

Por Ascom (Ascom)
29/01/2024 17h58

Nesta segunda-feira (29) mais de 500 mil estudantes matriculados na rede estadual de ensino voltaram às aulas no Pará. E, o primeiro dia do novo ano letivo foi marcado muita alegria e  dinâmicas especiais desenvolvidas pelas escolas para acolher os novos e o retorno dos antigos estudantes.

"Esta é uma semana de grandes notícias para a educação paraense. Iniciamos na segunda-feira, em Ananindeua, com o volta às aulas para toda a rede estadual de ensino e em diversas redes municipais parceiras que construíram o calendário em conjunto conosco neste ano pela primeira vez, além da entrega da escola Romulo Maiorana e outras quatro ao longo da semana, em Ananindeua, Belém e Parauapebas. Esse é mais um ano de renovação e avanço contínuo para a educação do Pará. Contamos com todas as famílias, equipes escolares e estudantes para, juntos, garantirmos mais oportunidades, ferramentas e reforçar a posição do Pará como referência em educação no Brasil", disse Rossieli Soares, secretário de Estado de Educação do Pará.

Na Escola de Tempo Integral Oneide Sousa Tavares, em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém, os estudantes foram recebidos com música e apresentados ao corpo docente e discentes da unidade.

"Este ano, nossa organização fez uma acolhida totalmente diferente, nós já trabalhamos com a questão dos jovens protagonistas, então nós deixamos eles à frente, eles montaram um projeto deles, então desde a semana passada eles estão trabalhando com esta organização porque eles já sabem, claro, a equipe de professores e a gestão também, por trás de todo esse trabalho deles para fluir, mas eles ficaram à frente da acolhida dos nossos alunos e de seus familiares aqui na Escola", disse Elizabeth Evanovich, disse a diretora.

O estudante, Pedro Henrique, que é portador do Transtorno do Espectro Autista (TEA), conta sobre a expectativa para esse novo ano. "Está sendo gratificante este retorno, tem aquele nervosismo, nova turma, novas pessoas, mas está sendo gratificante porque de certa forma é uma vitória pra mim. A turma parece bem animada e estudiosa. No geral, eu estou ansioso para aprender mais e espero que nesse ano novos conhecimentos e espero também que meu projeto com o meu irmão possa ir mais para frente e também espero um ano letivo pra mim bem saudável", disse Pedro Henrique, aluno do 2º ano do Ensino Médio.

No município de Belém, a Escola Estadual de Ensino Médio Integral Visconde de Souza Franco, também teve uma calorosa receptividade aos estudantes. Direção e professores estavam na entrada da unidade desejando boas vindas a pais e estudantes.

"Eu estudo aqui desde o primeiro ano e o ensino é muito bom, são professores qualificados, que se dedicam. Tivemos um mês de férias para descansar. Agora é o último ano nessa escola e estava ansiosa para encontrar meus amigos", conta Bruna Raiol, aluna do 3º ano do Ensino Médio.

O ano letivo de 2024 é marcado pelo aumento de 100% de vagas em escolas de tempo integral. São 33 novas escolas no modelo de ensino integral e mais de 17,7 mil novas vagas, totalizando 35,9 mil vagas integrais na rede estadual de ensino.

“Nós estamos muito felizes em iniciar o ano letivo. A nossa escola que teve uma expansão de matrícula do ano de 2023 para 2024 deu um salto de 284 alunos para 404. Significa dizer que a nossa escola é atrativa. O tempo integral é atrativo e a gente tá muito feliz de estar também com os pais dos alunos no dia de hoje”, reforça Daniel Santos, diretor da Escola Visconde de Souza Franco.

Educação Ambiental - A volta às aulas inicia já com a nova matriz curricular aprovada pelo Conselho Estadual de Educação que traz de forma inédita no Brasil o fomento ao pensamento e a prática sustentável de maneira contínua nas escolas públicas do Pará, por meio do componente curricular com temática em Educação Ambiental, Sustentabilidade e Clima para toda a educação básica, com oferta obrigatória na rede estadual para todas as etapas de ensino e, por adesão, pelas redes municipais. Um total de 1,5 milhão de estudantes da rede pública de ensino do Pará poderão ser beneficiados com a iniciativa, sendo 550 mil, obrigatórios, na rede estadual e, por adesão das redes municipais, 618 mil estudantes dos anos iniciais (1º ao 5º ano) e mais 461 mil dos anos finais (6º ao 9º ano).

Na Escola Álvaro Adolfo da Silveira, em Santarém, no Baixo Amazonas, a estudante Lyvian Mota, comenta sobre o componente ser essencial no estado do Pará. "A educação ambiental é o processo por meio do qual os indivíduos e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, agilidade, atitudes e competências voltadas para conservação do meio ambiente", conta Lyvian Mota, aluna do 1° ano do Ensino Médio.

Creche Orlando Bitar - Muito carinho e alegria marcaram o acolhimento de volta às aulas no Centro de Referência em Educação Infantil (CREI) Professor Orlando Bitar, em Belém. Crianças, pais e responsáveis foram recebidos pelos servidores com largos sorrisos ao som de músicas animadas.

A ação de acolhimento das crianças foi pensada para recebê-las da melhor forma, como conta a diretora da escola, Aldenice Anjos. "Nós preparamos essa acolhida com muito carinho como sempre é feito com a professora Socorro, que é uma cantora excelente, com toda a vestimenta das professoras para eles [os estudantes] chegarem e verem uma coisa mais alegre e colorida, porque as crianças gostam disso. Na acolhida, eles não chegam e vão direto para a sala de aula, eles fazem um tour pela escola porque têm crianças que não conhecem todo esse espaço lindo e a gente preparou esse início de uma forma bem divertida para que eles cheguem e não tenham todo aquele impacto de choro no primeiro dia de aula", explicou a gestora.

Frena Queiroz é mãe de Marcelinho, de 5 anos. Para ela, a escola proporciona o apoio necessário para a educação do filho, diagnosticado com Transtorno do Espectro Autista (TEA). "Eu gosto muito daqui, sempre fomos bem acolhidos. Meu filho é autista então é uma escola que acolhe e que eu gosto mesmo. Ele não é uma criança que demonstra muitas emoções, mas quando chega aqui ele esperta, chega e abre o sorriso e até esquece de mim. Quando ele entrou aqui a gente viu uma evolução nele", destacou a vendedora.

A pequena estudante do Pré-II, Isis Arielle Rodrigues, de 5 anos, estava animada para o primeiro dia de aula e contou o motivo de gostar tanto da escola. "Aqui tem um bocado de aluno e dá para a gente aprender tudo, brincar. Gosto muito das professoras. Aprendo matemática, geografia. Aqui na escola é muito legal porque tem um monte de professores e coleguinhas", contou.

Texto Bianca Rodrigues com colaboração de Fernanda Calbvacante / Ascom Seduc

jogatina Mapa do site