jogatina

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
BANCO DE SANGUE

Dia Nacional do Doador de Sangue: Hemopa fecha a data com mais de 4,5 mil bolsas coletadas

Por Helen Alves (HEMOPA)
25/11/2023 19h50

A Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) promoveu evento em homenagem ao Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, celebrado neste sábado (25), com o lançamento oficial do Cartão do Doador de Sangue e certificação aos doadores que mais realizaram doações. Todas as unidades da instituição realizaram campanhas e atrações culturais para receber os voluntários que passaram durante este dia todo e somaram mais de 4,5 mil bolsas coletadas.

Paulo Bezerra, presidente do Hemopa, avalia a data como uma oportunidade de valorizar e despertar a população para a doação voluntária de sangue em todo o Estado do Pará. “Hoje é um dia de agradecer a todos os doadores. Estamos lançando o nosso cartão do doador e o certificado de fidelidade. Também aproveitamos o momento para incentivar os novos doadores, para que comecem a praticar esse gesto tão bonito e que é muito importante para manter os estoques nas nossas oito unidades distribuídas pelo interior do Pará”, enfatizou o gestor.

“Nós apoiamos essa iniciativa para institucionalizar a doação de sangue para a população nesta data e em todos os dias do ano. Unimos forças com o Hemopa”, disse Carla Figueiredo, diretora técnica da Secretaria Estado do Saúde Pública (Sespa) que esteve presente no evento, em Belém.

Ivonei Albuquerque é doador desde os 18 anos e foi um dos torcedores do time do Remo a fazer o gesto solidário. Ele disse que a competição fica apenas no campo. “A rivalidade é só no gramado mesmo, entre as quatro linhas, para ganhar e depois encarnar um pouco um no outro, aí é cada um por si”, brinca o voluntário torcedor remista.

Jorge Palheta é motorista, que é torcedor do Paysandu, realizou a sua 51ª doação e destacou ser uma honra ajudar nessa causa. “Eu gostaria que todos fizessem o mesmo, porque é muito importante doar sangue e salvar vidas. Torcedor do Paysandu, Jorge também acrescenta sobre a disputa entre as torcidas. “Fora de campo somos todos amigos, brincadeira e encarnação um no outro é só vendo o jogo. Doar sangue é que é o mais importante”, reforçou.

Maria Souza, manicure, moradora da cidade de Breves, na ilha do Marajó, fez tratamento de uma doença chamada púrpura, pela Fundação Hemopa, e recebeu alta recentemente. “Eu tô muito feliz hoje nesse dia dos doadores, vendo as pessoas que doam, salvando vidas sem saber. A minha foi uma dela: já tomei 21 bolsas de sangue e fique bem e curada. Eu só tenho a agradecer a Deus e a todas as pessoas que cuidaram de mim, inclusive, cuidei dos meus dentes aqui, só alegria agora”, celebrou a senhora que foi paciente do Hemopa.

O cantor Marquino Pará participou da iniciativa levando a música com outros cantores regionais e comentou a relação da música e a doação de sangue. "O sentimento sempre é de gratidão em contribuir com a arte, de transmitir alegria para esse povo que vem de todos os lugares, que acordou cedo para fazer esse gesto solidário essa atitude de amor e música foi inserida no meio terapêutico, inclusive a musicoterapia começa na história da enfermagem. Onde ela está tem riso, tem alegria, tem saúde mental", avalia o cantor.

O tenente coronel Osvaldo Carlos Junior, chefe da policlínica do Bombeiro Militar, também pretigiou o evento e anunciou a campanha em parceria com o Hemopa. “Nós sempre precisamos estruturar essas parcerias para somar, porque salvar vidas não é somente nossa missão institucional, mas de cidadãos. Na próxima semana, já temos agendada uma campanha da nossa corporação”, finalizou.

jogatina Mapa do site